CAERD faz balanço  dos quatros primeiros meses de gestão

A atual diretoria da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) realizou um balanço  dos quatros primeiros meses de gestão.

Por Assessoria 17/12/2018 - 20:18 hs

O resultado foi apresentado ao governador Daniel Pereira, em um relatório que vislumbra a viabilidade da Companhia pelos números apresentados. Ao assumir a gestão da Caerd, no início de maio, os novos diretores herdaram da Diretoria anterior (abril de 2015 a maio de 2017) uma empresa  com 5 salários devidos aos trabalhadores, contas a pagar que aproximam a R$ 70 milhões, além do desabastecimento em diferentes localidades, incluindo Porto Velho, e uma arrecadação abaixo de R$ 9 milhões. 
Para amenizar a gravidade da situação herdada, José Irineu, atual presidente da Caerd, fez o que era necessário e imediato fazer.
Nesses 120 dias, a nova diretoria exonerou todos os cargos comissionados; devolveu aos órgãos de origem, os funcionários cedidos  da administração pública estadual e que tinham altos salários; suspendeu as gratificações; implantou o banco de horas extras. Com tais medidas, a Caerd desonerou a folha de pagamento de R$ 3,5 milhões  (líquida), em maio, para R$ 2,3 milhões, em julho, caracterizando em 30 dias uma economia  significativa para os cofres da empresa de R$ 1,2 milhões. Isso quitou quatro salários devidos, restando apenas um mês para quitar a pendência.
"A meta é quitar esse débito no mês de outubro", destacou José Irineu, que ressaltou a importância de recuperar os créditos devidos por outras instituições à Caerd.
"No início desta gestão, a arrecadação era inferior a R$ 9 milhões. Porém, em agosto, a Caerd fechou o faturamento em R$ 10.248.789,52. Isto porque a área comercial implementou medidas que visam cobrar, ininterruptamente, os devedores e, assim, ao recuperar os créditos", declarou o presidente da Companhia.
Ele informou que reconhece que são inúmeros problemas, especialmente no que diz respeito ao abastecimento de Porto Velho e Ji-Paraná, mas que a diretoria está incansavelmente buscando alternativas para superar esses problemas e atender a população com a dignidade que merecem. Outro ponto informado é que a meta estabelecida é, em até  dezembro, a Caerd arrecadar R$ 12 milhões.